Home / Destaques / Poluição do Rio Sapato em Lauro de Freitas reduz mais de 70%

Poluição do Rio Sapato em Lauro de Freitas reduz mais de 70%

A Prefeitura Municipal de Lauro de Freitas, EMBASA e a empresa AMBIEM Ltda, através da celebração de um Acordo de Cooperação Técnico-Científico realizaram em conjunto uma ação para a revitalização do Rio Sapato.

No projeto de revitalização não há repasse de recursos financeiros, trata-se de uma ação voluntária, e específica, pela qual a empresa AMBIEM Ltda está doando o tratamento das águas do Rio Sapato com o produto EM•1®, a EMBASA está realizando as análises de monitoramento de qualidade de água, e a Prefeitura Municipal, através da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos está fazendo o acompanhamento técnico e logístico das atividades.

De acordo com o secretário de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Alexandre Marques, as ações do projeto são especificamente voltadas à redução dos odores e à melhoria da qualidade da água do Rio Sapato, reduzindo os índices de poluição causados pelo lançamento indevido de esgoto no rio.

“O projeto é uma ação conjunta, e não visa o processo de limpeza das margens do rio nem a remoção do lixo e das plantas aquáticas, que sempre esteve à cargo da própria prefeitura. Através desta parceria diminuimos a poluição do Rio Sapato em 70% e reduzimos também em 99% a contaminação por coliformes”, falou Alexandre.

 

Ainda de acordo com as informações do secretário, os odores estão sob controle desde o início do tratamento, e podem ser confirmados pela população que frequenta suas margens. Odores esporádicos podem ser percebidos em alguns pontos específicos ao longo do rio, porém já não são mais do próprio leito do rio, e sim, trata-se de esgoto in-natura sendo lançado indevidamente.

A qualidade da água do Rio Sapato melhorou expressivamente, e pode ser comprovada tanto visualmente (vide fotos do antes e depois) quanto pelas análises químicas de monitoramento que estão sendo realizadas mensalmente (vide tabela). Apesar do lançamento indevido contínuo de esgoto, os índices de poluição da água reduziram mais de 70% no caso da matéria orgânica e nutrientes, onde a DBO (Demanda Bioquímica de Oxigênio) reduziu de 12 mg/L para apenas 3,50 mg/L, e a contaminação por Coliformes Fecais e E. Coli diminuiu 99%, reduzindo de 2.400.000 NMP/100mL para apenas 6.500 NMP/100mL no caso dos Coliformes, e reduzindo de 457.000 NMP/100mL para apenas 4.600 NMP/mL no caso da E.Coli.

Enfim, o secretário, Alexandre Maques, alerta para quem frequenta as margens do rio, já é possível ver o retorno dos peixes. Milhares de alevinus (filhotes de peixe) podem ser vistos em vários pontos do rio. Os alevinus são um forte Bio-indicador de melhoria de qualidade da água. Com os alevinus, também estão retornando as aves aquáticas. O rio está tomando vida novamente, agora, entretanto, é muito importante que a população de Vilas se conscientize e pare de lançar esgoto no rio, caso contrário todo este esforço serão em vão.

Veja também

Auxílio Brasil de R$ 400 deve começar a ser pago em dezembro a 17 milhões de famílias

por Mateus Vargas | Folhapress O ministro da Cidadania, João Roma, disse nesta quinta-feira (2) …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *